Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gritos mudos no silêncio das palavras!

Aqui toda a palavra grita em silêncio, sozinha na imensidão de todas as outras deixa-se ir... Adjetiva-me então

No silêncio das estrelas

Setembro 08, 2023

Carlos Palmito

fireflies-smoky-mountain-events-1024x683.webp 

No silêncio das estrelas, nasceu o segredo do universo.

Sem céu nem inferno, desprovido de teologia e ciência, os seres navegavam, voavam, planavam na escuridão infinda do cosmo, como pirilampos multicoloridos, a deixar um rasto de poeira sideral.

— Gus? — Valentina estava boquiaberta, desligara os propulsores na totalidade. — Onde estamos?

O rosto do orgulhoso comandante da nave “Santa Maria”, a última esperança da humanidade após a fuga aos átomos que destruíram na globalidade o sistema solar quando o sol iniciou a sua fase de expansão, espelhava incredibilidade.

— Comandante — a voz vinha do intercomunicador, era Isabela, a engenheira chefe. — Após reiniciar a maioria dos sistemas, os suportes de vida reativaram na totalidade. Presumo que tenha afetado um mínimo, provavelmente na área da botânica. Nem acredito que sobrevivemos ao buraco negro.

— O que são essas coisas? — Valentina nem esperava uma resposta, era uma pergunta apenas para si, enquanto contemplava os pirilampos espaciais, com todas as tonalidades, todos os cromáticos, quase uma nebulosa a germinar nos confins do universo.

Gustavo acorda finalmente do seu transe, da sua incredibilidade, para voltar a ser o comandante. Após a tempestade geomagnética que os atirou para o buraco negro, perdera-se de todas as outras naves, as “arcas de Noé”, como tão bem lhes chamaram as altas patentes da terra. A sua responsabilidade, era manter os cerca de mil e quinhentos passageiros vivos.

— Não faço ideia onde estamos — responde finalmente para a sua piloto, enquanto observa os monitores. — Não consigo ver nenhuma constelação conhecida, nenhum ponto de referência, nada.

Nesse instante, uma das criaturas de luz, lembrando uma anã branca, aproxima-se da nave, captada na íntegra pelos ecrãs, dançando na sua frente. Com a mão aponta para o desconhecido.

No silêncio das estrelas, existe a árvore-da-vida, e todas as ramificações que poderão dar esperança à humanidade.

 

In – “A Odisseia de Santa Maria: Além das Estrelas” um conto de ficção científica que estou a matutar. Ou seja, só existe este pedaço ainda. O resto, anda a passear na minha cabeça.

 

Imagem retirada da NET

Mensagens

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D