Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Gritos mudos no silêncio das palavras!

Aqui toda a palavra grita em silêncio, sozinha na imensidão de todas as outras deixa-se ir... Adjetiva-me então

Na água do rio

Outubro 18, 2023

Carlos Palmito

cena-tranquila-com-o-sol-refletindo-na-agua-gerada 

Na água do rio crepuscular existe uma vírgula exclamada,

Uma palavra perfumada com cimento, perdida, exalada.

Existe a gaivota que foi aprisionada, interrogada e torturada,

e uma criança, meiga, doce como sal, inocentemente enterrada.

 

Na água do rio, afogam-se peixes-prateados, morre um oceano,

flameja um gélido sol negro, tão escuro quanto o amor draconiano.

Existem areais, estrelas, galáxias distantes, luares, um cavalo troiano.

Nela, vive um vulcão enraivecido, com um olhar penetrantemente insano.

 

Na água do rio,

todo o mundo perde o pio,

toda a alga tem frio,

todo o calor sente arrepio,

 

na água daquele rio.

 

Imagem encontrada no Freepik

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D