Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gritos mudos no silêncio das palavras!

Aqui toda a palavra grita em silêncio, sozinha na imensidão de todas as outras deixa-se ir... Adjetiva-me então

Criador de Sonhos

Janeiro 23, 2022

Carlos Palmito

criador de sonhos.png

Retoque final na luz que de ti exala.
Sentes nas costas o mundo,
e na alma um abismo sem fundo,
és prisioneiro na infinidade da fala.

Apaziguas a dor nas palavras como um papagaio,
com prosas e rimas confecionas universos,
ao sabor da chuva e do sal em prol dos versos,
serão estas então as tuas águas de maio?

Ou serás uma árvore que tomba na floresta,
ninguém te ouve gritar, nem deus nem o lenhador,
simplesmente cais e és esquecida sem pranto ou dor,
aqui jaz a deidade do que te resta!

E o que te resta é uma réstia do nada,
a imensidão de um vazio,
e em especial o fluxo de um rio.
Mergulha neste oceano… e nada.

Adormece agora no momento e na hora, neste vida que é uma feira,
tens constelações no fundo dos sonhos, e no inicio uma cachoeira.
Dá o teu salto de fé, sê uma lima, uma laranja ou a laranjeira,
aqui, onde os sonhos comandam, e os medos se dissipam em poeira!


Foto encontrada na net
Com este poema fui eliminado do concurso, mas adorei participar. 
Copa brasil
a minha participação começa na 1 hora e 9 minutos

Mensagens

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D