Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gritos mudos no silêncio das palavras!

Aqui toda a palavra grita em silêncio, sozinha na imensidão de todas as outras deixa-se ir... Adjetiva-me então

Explosão Sensorial

Abril 28, 2022

Carlos Palmito

pexels-pixabay-219692.jpg

Fascinada pela orgia visual da multiplicidade cromática a néon, abriu os braços e libertou-se na infinda sedução da cidade notívaga.

 

Microconto criado para um desafio no Instagram, onde o tema é "noite na cidade", podendo usar apenas 20 palavras.

Se gostarem, passem lá e deixem o vosso like no meu microconto.

o local é: 

Desafio dos micro-contos - noite na cidade

Foto encontrada na net

CRIATURAS NOTÍVAGA(S) Nº 7 — 27/04/2022

Abril 27, 2022

Carlos Palmito

atequeamortenossepare.jpg

Quarta-feira, dia de conto no blog da valletibooks, a continuação do meu ultimo. 

Caso não tenham lido os dois anteriores, aconselho vivamente a fazerem-no, antes de ingressarem por este. 

O Link para acederem ao Conto é: 

CRIATURAS NOTÍVAGA(S) Nº 7 — 27/04/2022 - Até que a morte nos separe 

Peço também para me deixarem os vossos comentários, pois são sempre uma enorme ajuda no meu desenvolvimento de escrita. Se não conseguirem deixar na valletibooks, deixem aqui, no nosso querido e estimado sapo. 

Um grande e sincero abraço a todos vós. 

 

Mais um conto da série, escrito por Carlos Palmito. Esse conto é a continuação do conto anterior e o final é surpreendente. Escrito como se fosse um roteiro para cinema, o conto dessa semana fará o leitor viajar pela cena, sentindo-se nela.

 
 
 

Leia, Reflita, Comente!

 

Foto encontrada na NET

Chacinando flores

Abril 26, 2022

Carlos Palmito

5bda8cc054389fb1048524e4.w800.jpg

Arrancou a flor do chão, rasgando-a do ventre de Gaia, tentando apoderar-se-lhe da beleza e da fragrância. 

Sucumbiu, essa mesma flor, pouco depois, solitária numa prisão em formato de jarra, num mundo artificial cheio de arrogâncias e falsidades, longe dos prados que amava, e dos campos floridos da memória perene. 

Mais uma filha da mãe terra chacinada por vaidade e inveja, atirada para o esgoto quando dela já nada mais conseguiam extrair. 

Gaia gritou em agonia. 

— Como ousas tocar no meu jardim? 

 

******************

Originalmente o texto era só assim: 

Arrancou a flor do chão, rasgando-a do ventre de Gaia. 

Ela gritou em agonia. 

— Como ousas tocar no meu jardim? 

 

Foto encontrada na Net 

Mensagens

Pág. 1/6

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D